• Caderno com celular em cima ao lado de um notebook
    Finanças,  Vida

    O que eu aprendi alterando meus planos de internet e celular

    Fazia algum tempo que meu marido estava insatisfeito com a velocidade da internet que temos em casa. Apesar de termos um plano contratado de 15 Mega, muitas vezes a velocidade recebida ficava bem abaixo disso. Por isso ele queria mudar de plano.

    Confesso que não fui muito atrás disso, porque achei que acabaríamos pagando mais para ter um pacote melhor. E, apesar de nossa internet não estar legal, não estávamos usando tanto a ponto de me incomodar. Estávamos pagando o valor de R$ 120,00 por mês.

    Outras contas que começamos a achar que não estavam sendo tão vantajosas eram as nossas de celular. Ambos tínhamos planos controle da operadora Tim, no valor de R$ 59,99 cada. Na verdade, já havíamos recebido um SMS informando que a partir de 2020 a mensalidade subiria para R$ 64,99.

    Acho que não pagamos muito, mas pensamos que dava para diminuir esses valores.

    O processo de mudança

    Agora nas férias meu marido resolveu ir atrás desse assunto. Ele fez uma pesquisa virtual e viu que havia opções de internet residencial mais interessantes que a nossa, e isso na mesma empresa em que já somos clientes (Net).

    Para quem não sabe, a Net e a Claro são uma coisa só agora. Portanto, se um de nós levasse o nosso número da Tim para a Claro poderíamos ter ainda mais vantagens. Achei um ótimo negócio.

    Tentamos fazer as alterações de plano pela internet, mas não deu certo. Então entrei em contato com a Claro / Net falando que eu tinha visto uma opção de pacote e que queria alterar meu plano residencial e fazer a portabilidade do celular.

    Fiquei surpresa quando a atendente, logo de cara, me ofereceu um plano ainda mais vantajoso do que o que eu tinha visto. A minha reação foi de desconfiança, mas repeti a pergunta para atendente para ter certeza de que eu não estava entendendo errado. Ela me garantiu que era aquilo mesmo que eu tinha entendido.

    Conclusão: mantivemos a nossa operadora (Net), mas trocamos o nosso plano de internet por um melhor, de 35 Mega. Fiz a portabilidade do meu celular de um plano controle da Tim para um plano pós da Claro, com uma quantidade de dados de internet bem superior a que eu tinha antes.

    Fazendo as contas

    Por esses dois serviços vou pagar R$ 120,00 no débito. Sim, se eu escolhesse o débito como forma de pagamento, ao invés de boleto, havia um desconto a mais. Não pensei duas vezes.

    Mas meu marido ainda estava com o plano dele da Tim. Ele ligou na operadora e apenas perguntou se eles poderiam lhe oferecer condições melhores do que as já contratadas porque a Claro estava com ofertas melhores de planos. A colaboradora disse que poderia oferecer o plano que ele já tinha por R$ 49,99, o que ele aceitou prontamente.

    Dessa maneira, sem muito esforço, ao invés de pagar R$ 240,00 por mês (120 da internet + 59,99 + 59,99), passamos a pagar R$ 170,00 (120 do combo internet-celular + 49,99 da Tim). Uma economia de R$ 70,00 por mês.

    Mas e daí?

    A moral da história é a seguinte… Às vezes desistimos de algo sem nem tentar por achar que vai ser muito trabalhoso e não vai dar resultado. No entanto, muitas vezes podemos nos surpreender positivamente. Mas só vamos saber se tentarmos.

  • Dicas infalíveis para economizar no mercado
    Finanças

    Dicas infalíveis para economizar no mercado

    Tenho a sensação de que cada vez que vou ao supermercado, as coisas estão mais caras. Fico impressionada com o tanto que gasto comparado à pequena quantidade de itens que levo para casa.

    Estou procurando prestar mais atenção às minhas compras para conseguir economizar. Se você também está precisando economizar no mercado, confira abaixo as dicas que separei.

    Monte um cardápio

    Olhe o que você ainda tem em casa, tanto na geladeira quanto na despensa. Baseado nisso, monte um cardápio para as próximas refeições, de forma que aproveite o que você ainda tem em casa. Afinal, desperdício de comida é desperdício de dinheiro.

    Faça uma lista

    Após montar um cardápio, é hora de montar a lista. Essa dica é básica, mas necessária. Faça uma lista e se atenha a ela. Eu gosto de levar a lista em papel mesmo e ir riscando com uma caneta o que eu vou colocando no carrinho. Mas você também pode optar por criar uma lista em algum aplicativo no celular.

    Calcule o preço por unidade

    Como saber se um pacote com 48 fraldas está mais caro que o pacote com 96? Calculando o preço por unidade. Para isso, tenha em mãos uma calculadora. Temos a tendência a achar que a embalagem maior vai ter o preço mais barato, mas isso não é uma regra. Além disso, não adianta comprar a embalagem maior que tem um preço unitário menor se você não for conseguir consumir aquele produto até a data de vencimento. Sua economia terá ido para o lixo.

    Evite passar nos corredores de produtos que você não precisa comprar

    Se não tem nenhum item de higiene pessoal na sua lista, por exemplo, não passe nesse setor. Isso só te fará perder tempo e você ainda pode cair na tentação de querer levar algo que não esteja precisando.

    Não vá ao supermercado com fome

    Eu sei, essa dica é realmente super batida, mas funciona. Tem grandes chances de você comprar alimentos além do necessário se você for às compras com fome.

    Cuidado com as falsas promoções

    Não acredite em todas as ofertas do supermercado. Não é porque está escrito em destaque “promoção” que aquele produto realmente está com um preço mais baixo do que o normal. Preste atenção! Observe o preço e analise se realmente é uma oferta real ou apenas um chamariz para pegar consumidor desatento.

    Aproveite os descontos reais

    Em oposição à dica anterior, preste atenção aos descontos reais. Realmente tem vários mercados cheios de falsas ofertas por aí. Porém há também os casos de promoções verdadeiras. Se for algo que você precisa comprar, aproveite.

    Compre os produtos da estação

    Dicas infalíveis para economizar no mercado

    Os alimentos da estação costumam estar melhores e mais baratos do que outros produtos. Assim, você economiza no preço e leva um produto que vai estar com uma qualidade superior do que aqueles fora da estação.

    Frequente mercados mais baratos

    Aqui vale você analisar sua situação. Não sou muito a favor de sair rodando a cidade em busca do mercado mais barato. Afinal, tempo é dinheiro. Mas se há 3 redes diferentes de supermercados próximos à sua casa, compare os preços e comece a frequentar aquele que tiver os preços mais em conta.

    Quando possível, escolha uma marca mais barata

    Tem produtos com os quais eu acho que não dá para comprar do mais barato, como detergente para lavar louças, por exemplo. Mas também não precisa comprar a marca mais cara. Já no caso de alguns itens, como água mineral, não vejo diferença de marca. Veja o que faz sentido para você.

    Aproveite também para experimentar novas marcas. Muitas vezes temos preconceito com marcas mais baratas sem nunca termos provado. Aqui ainda vale mais uma dica. Experimente as marcas dos supermercados.

    Muitas redes grandes possuem linhas de marcas próprias. Porém normalmente elas não produzem, apenas reembalam produtos comprados de outros fabricantes.

    Então você pode comprar bons produtos assim. Se quiser saber quem é o fabricante, basta olhar na embalagem, vai estar escrito bem pequenininho algo como “fabricado por”.

    Compre menos produtos industrializados

    Essa dica vale para mim também. Produtos industrializados costumam sair mais caros e não são tão nutritivos quanto comida de verdade (arroz, feijão, carne, frutas, legumes). Se você compra muitos produtos industrializados, tente ir diminuindo o consumo deles aos poucos. Você vai ver como isso vai fazer diferença na sua conta. É bom para o seu bolso e para a sua saúde.

    Não leve as crianças

    As crianças não têm muito autocontrole e podem se sentir facilmente atraídas por produtos supérfluos. Em outros casos, os próprios adultos podem ficar tentados a presentear os pequenos com algum item do mercado. Portanto, se você tiver opção, evite levá-las com você.

    Confira a validade dos produtos

    Não adianta comprar um pack com 8 iogurtes porque está mais barato se eles vão vencer daqui 1 semana e você costuma levar 2 semanas para consumir. Sempre confira a validade dos produtos antes de colocar no carrinho.

    Faça compras semanais ou quinzenais

    Quando você faz compras muito grandes, fica mais difícil de controlar a quantidade que vai precisar para não sobrar comida. Se você for ao mercado semanalmente ou quinzenalmente, pode minimizar o desperdício de alimentos.

    Defina um limite para gastar

    Ir às compras com um limite para gastar pode dar um pouco mais de trabalho, mas é uma ótima estratégia para controlar os gastos. Defina quanto você pode gastar por semana ou por ida ao mercado e se mantenha dentro do limite.

    Confira seu cupom fiscal

    Às vezes pode acontecer de quando passar um produto no caixa, o valor estar diferente (maior) do que estava na prateleira. Ou também pode acontecer do funcionário da loja se confundir e passar o mesmo produto mais de uma vez. Por isso, sempre confira sua nota fiscal. Se conseguir conferir já na tela do caixa, fica ainda mais fácil de corrigir caso seja necessário.

    Agora eu quero saber quais são as suas estratégias para economizar nas compras!

  • Finanças,  Organização

    Organização financeira: primeiros passos para economizar

    Organização financeira: primeiros passos para economizar
    Foto por maitree rimthong em Pexels.com

    Minha mãe sempre me ensinou a ser uma pessoa econômica e guardar dinheiro. Quando eu conheci o meu marido, aprendi a fazer isso de uma forma mais organizada. Ele mantinha uma planilha no Excel onde separava uma aba por mês e listava as categorias e os valores gastos.

    Atualmente nós usamos o aplicativo Minhas Economias. Na verdade, uso mais a versão para PC mesmo. Nós não deixamos passar nada. Se doamos R$ 1,00 para alguém na rua, anotamos no nosso extrato de gastos. Isso ajuda muito a ter um controle e a saber em que estamos gastando nosso dinheiro.

    Muitas vezes não sabemos como o dinheiro acaba tão rápido e, fazendo um controle, podemos identificar que aquele cafezinho diário, aparentemente inocente, está custando R$ 100,00 por mês, por exemplo.

    Aqui é só um exemplo. A questão não é sobre o cafezinho. Se tomar um café na rua for importante para você e sua situação financeira não estiver apertada, sugiro que o mantenha.

    Mas pode ser que, sem perceber, você esteja gastando seu dinheiro com algo que nem seja importante para você. Nesse caso, o controle financeiro vai ajudar a identificar esse gargalo.

    Além disso, uma boa organização financeira auxilia no planejamento de nossas metas e objetivos. Organizando as contas, você consegue programar melhor a compra de um celular, uma viagem dos sonhos, entre outras coisas.

    Como começar

    Minha sugestão é a seguinte: faça uma planilha, procure um aplicativo que te agrade ou use um caderno. A ferramenta não importa. Escolha o que você achar mais prático e comece a registrar todos os seus gastos, separando por categorias.

    Defina bem as categorias, crie subcategorias e registre tudo direitinho. Se você fizer anotações muito genéricas, vai ficar mais difícil de identificar para onde está indo o seu dinheiro.

    Seja honesto e anote tudo mesmo. Ao final do mês, veja quanto você gastou. Registre também sua receita mensal. Olhe bem para seu extrato e defina um limite de gastos mensal. Lembre-se de incluir um orçamento para algum lazer e imprevistos que acabam surgindo.

    Após definir seu orçamento mensal, é hora de separar um valor para investir. Por exemplo, vamos supor que sua média mensal de gastos seja R$ 1.900,00 e seus ganhos mensais sejam de R$ 2.100,00. Então, vai sobrar R$ 200,00 para você guardar.

    Se você tiver um salário fixo, você pode ter um valor pré-definido para investir. Quando receber, já tire da conta o valor que irá economizar. Caso não tenha um rendimento fixo, tudo bem também. Sabendo quanto você gasta (se imponha um limite), é só subtrair dos seus ganhos para definir o valor a economizar.

    O importante é o seguinte. Após começar a registrar suas despesas, você deve fazer uma análise da sua situação financeira. Quanto está gastando? Dá para diminuir algum gasto?

    A partir desta análise, defina um valor para investir todo mês. Se ficar esperando sobrar dinheiro, nunca vai sobrar. Assim que receber seu salário, já separe o valor a investir e aplique o quanto antes.

    Agora que você já sabe como começar, deixa eu te contar 12 dicas para economizar.