• Caderno com celular em cima ao lado de um notebook
    Finanças,  Vida

    O que eu aprendi alterando meus planos de internet e celular

    Fazia algum tempo que meu marido estava insatisfeito com a velocidade da internet que temos em casa. Apesar de termos um plano contratado de 15 Mega, muitas vezes a velocidade recebida ficava bem abaixo disso. Por isso ele queria mudar de plano.

    Confesso que não fui muito atrás disso, porque achei que acabaríamos pagando mais para ter um pacote melhor. E, apesar de nossa internet não estar legal, não estávamos usando tanto a ponto de me incomodar. Estávamos pagando o valor de R$ 120,00 por mês.

    Outras contas que começamos a achar que não estavam sendo tão vantajosas eram as nossas de celular. Ambos tínhamos planos controle da operadora Tim, no valor de R$ 59,99 cada. Na verdade, já havíamos recebido um SMS informando que a partir de 2020 a mensalidade subiria para R$ 64,99.

    Acho que não pagamos muito, mas pensamos que dava para diminuir esses valores.

    O processo de mudança

    Agora nas férias meu marido resolveu ir atrás desse assunto. Ele fez uma pesquisa virtual e viu que havia opções de internet residencial mais interessantes que a nossa, e isso na mesma empresa em que já somos clientes (Net).

    Para quem não sabe, a Net e a Claro são uma coisa só agora. Portanto, se um de nós levasse o nosso número da Tim para a Claro poderíamos ter ainda mais vantagens. Achei um ótimo negócio.

    Tentamos fazer as alterações de plano pela internet, mas não deu certo. Então entrei em contato com a Claro / Net falando que eu tinha visto uma opção de pacote e que queria alterar meu plano residencial e fazer a portabilidade do celular.

    Fiquei surpresa quando a atendente, logo de cara, me ofereceu um plano ainda mais vantajoso do que o que eu tinha visto. A minha reação foi de desconfiança, mas repeti a pergunta para atendente para ter certeza de que eu não estava entendendo errado. Ela me garantiu que era aquilo mesmo que eu tinha entendido.

    Conclusão: mantivemos a nossa operadora (Net), mas trocamos o nosso plano de internet por um melhor, de 35 Mega. Fiz a portabilidade do meu celular de um plano controle da Tim para um plano pós da Claro, com uma quantidade de dados de internet bem superior a que eu tinha antes.

    Fazendo as contas

    Por esses dois serviços vou pagar R$ 120,00 no débito. Sim, se eu escolhesse o débito como forma de pagamento, ao invés de boleto, havia um desconto a mais. Não pensei duas vezes.

    Mas meu marido ainda estava com o plano dele da Tim. Ele ligou na operadora e apenas perguntou se eles poderiam lhe oferecer condições melhores do que as já contratadas porque a Claro estava com ofertas melhores de planos. A colaboradora disse que poderia oferecer o plano que ele já tinha por R$ 49,99, o que ele aceitou prontamente.

    Dessa maneira, sem muito esforço, ao invés de pagar R$ 240,00 por mês (120 da internet + 59,99 + 59,99), passamos a pagar R$ 170,00 (120 do combo internet-celular + 49,99 da Tim). Uma economia de R$ 70,00 por mês.

    Mas e daí?

    A moral da história é a seguinte… Às vezes desistimos de algo sem nem tentar por achar que vai ser muito trabalhoso e não vai dar resultado. No entanto, muitas vezes podemos nos surpreender positivamente. Mas só vamos saber se tentarmos.

  • Vida

    Retrospectiva 2019

    Este será o último post do ano. Quando ele for ao ar, estarei de férias aproveitando um tempo com a minha família.

    Achei que seria interessante encerrar 2019 com uma retrospectiva do blog.

    Este espaço foi criado em 2017. Após alguns posts publicados, ele foi totalmente abandonado no ano de 2018 e finalmente voltou à ativa em 2019.

    Alguns dados

    Nesse ano, eu comecei a levar essa página mais a sério e me organizei para postar com regularidade. Reativei o blog em junho e escrevi 26 posts (contando este) de lá para cá, o que pode parecer bem pouco para alguns, mas sei que fiz o melhor que pude.

    Procurei escrever sobre assuntos que gosto e que estão relacionados ao meu cotidiano.

    Estipulei a segunda-feira como o dia de publicação de posts e, salvo poucas exceções, consegui cumprir o meu planejamento.

    Aqui estão os três posts mais acessados do ano:

    1. Como organizar uma festa infantil
    2. Como estou usando o Evernote para me organizar
    3. Quantidade ideal de roupas para bebês

    Caso ainda não tenha lido, aproveite para dar uma olhada. Por sinal, foram três textos que gostei bastante de fazer.

    Em 2020, sigo empolgada para continuar postando com regularidade e desejo que o blog conquiste mais leitores.

    Agradeço muito a todos vocês que passaram por aqui e que gastaram alguns minutos do seu dia para ler o que escrevo. Vocês fizeram diferença na minha vida!

    Desejo que todos tenham um Natal e um Ano Novo maravilhosos, cheios de paz, saúde, amor e acompanhados de pessoas queridas. Nos vemos em 2020!

    Se tiver sugestões de temas que você queira ver aqui no ano que vem, deixe um comentário!

  • Caçamba lotada de lixo no meio de um terreno gramado.
    Minimalismo,  Vida

    8 dicas de sustentabilidade para iniciantes

    As condições climáticas estão cada vez mais extremas, resultado da falta de cuidados com o meio ambiente. Precisamos pensar mais no futuro que vamos deixar para as próximas gerações.

    Eu confesso que estou longe de ser um exemplo de sustentabilidade, mas tenho tomado algumas pequenas atitudes para cuidar melhor do planeta. Se cada um fizer um pouquinho, podemos melhorar bastante.

    Confira aqui 8 dicas de sustentabilidade para quem está iniciando a jornada.

    1- Carregar uma garrafinha de água por aí

    No meu trabalho, ao levar uma garrafa, eu evito utilizar copos descartáveis para beber água. Em outros locais, ter uma garrafinha à mão impede que você compre água e gaste mais plástico, já que a bebida vem em embalagens plásticas. Além de fazer bem para o planeta, você economiza dinheiro.

    2- Levar uma xícara para o trabalho

    Apesar de não ser a louca do café ou do chá, comecei a ficar incomodada porque todos os dias eu utilizava um ou dois copinhos plásticos descartáveis para tomar um pouquinho de café ou chá.

    Então eu decidi pegar uma xícara da minha casa e deixar no meu trabalho.
    Assim, todos os dias eu uso a minha xícara de porcelana e depois lavo para reutilizar. Nunca mais usei os copos descartáveis.

    Já pensou se todos fizessem isso nas empresas?? A redução de consumo de plástico seria absurda!

    3- Utilizar saquinhos de lixo em sua capacidade máxima.

    Eu ainda não consegui evoluir o suficiente para parar de colocar saquinhos de plástico nas lixeiras. Então o meu esforço é para utilizar os saquinhos em sua capacidade máxima.

    Se o lixo não estiver mal cheiroso e a lixeira ainda estiver com espaço, não há necessidade de trocar o saquinho.

    4- Dispensar a via dos comprovantes de cartão de crédito

    Quando fazemos uma compra no cartão, a maquininha emite a via do estabelecimento e, em seguida, a via do cliente. Passei a avisar a pessoa que está me atendendo que não quero a minha via. Assim, faz se a economia de um papel que eu jogaria no lixo logo depois.

    Hoje em dia já existem algumas máquinas que não imprimem recebo, apenas mandam o comprovante por SMS ou e-mail.

    5- Solicitar alteração na forma de envio de boletos

    Atualmente quase todos os meus boleto eu recebo por e-mail, ao invés de receber pelos Correios. Na maioria das vezes eu nem imprimo a fatura, só digito o número do código de barras no celular para fazer o pagamento.

    Mesmo se você resolver imprimir, você só precisa imprimir a folha em que está o código de barras. Quando recebemos por correio, muitas vezes vem mais de uma folha junto. Ou porque vem o extrato de consumo ou porque vem alguma propaganda.

    Se você optar por imprimir, ainda é possível utilizar a impressão em frente e verso ou reduzir o tamanho e colocar mais de um boleto na mesma folha de papel.

    6- Recusar canudos em estabelecimentos comerciais

    É quase uma regra vir um canudo para acompanhar uma bebida que pedimos em um restaurante ou lanchonete. É um item totalmente dispensável, podemos muito bem tomar nossa bebida sem canudo. Por isso, passei a recusar esse objeto.

    7- Fazer o descarte correto

    Pilhas, baterias, lâmpadas, remédios são alguns itens que não podem ser descartados em um lixo comum, pois são tóxicos e precisam do descarte correto para não contaminar os aterros e tudo o mais. Separar estes itens é fundamental. Além disso, é importante separar o lixo reciclável do orgânico.

    8- Pensar bem antes de sair imprimindo coisas

    Eu penso muito bem antes de imprimir uma folha de papel. Será que aquela impressão é mesmo necessária ou é apenas uma pequena comodidade ou um hábito?

    Como já comentei, aqui são pequenos passos de uma pessoa comum que está apenas no início da jornada por um mundo melhor. Vocês têm mais dicas sobre o assunto?? Deixem aqui nos comentários que eu vou adorar aprender mais.

  • Corações de pano pendurados em um varal
    Minimalismo,  Vida

    Quando se faz necessário um destralhe de emoções

    Eu me considero uma pessoa ansiosa. Acho que sempre fui um pouco assim, mas hoje estou mais e tenho uma percepção melhor do que sinto.  

    Há alguns anos descobri o minimalismo. Na verdade, acho que eu já conhecia o conceito mas não sabia dessa nomenclatura “minimalismo”. Desde então, tenho tentado aplicar cada vez mais à minha vida.  

    Uma das coisas que sempre busco é o destralhe. Não pelo simples ato de desapegar, mas pelas consequências dessa atitude: manter em casa apenas o que amamos e faz sentido, ter mais tempo para o que realmente importa, buscar o que nos é essencial. 

    Destralhar pode não ser uma missão das mais simples. Algumas categorias são mais difíceis do que outras. Para algumas pessoas é mais fácil do que para outras. Eu mesma consigo me desfazer de algumas coisas com facilidade, mas de outras não.  

    Esses dias eu fiquei pensando sobre o destralhe e sobre a necessidade de desapegarmos não apenas de objetos, mas de sentimentos que nos fazem mal.

    Para esse desapego, o primeiro passo é admitir que algo não está bem. Como diz a escritora Brené Brown, autora de “A coragem de ser imperfeito”, não é fácil se mostrar vulnerável e ter coragem de admitir determinadas emoções e sentimentos. 

    Tenho me esforçado para me desapegar de sentimentos que me fazem mal. Vou compartilhar com vocês algumas dicas que têm me ajudado.

    5 dicas para ajudar no destralhe de emoções

    1) Escrever

    Procuro listar os motivos pelos quais aquilo que sinto não faz sentido. Quando vem aquela sensação ruim, aproveito para ler o que escrevi e racionalizar. 

    2) Ressignificar

    Essa dica tem a ver com programação neurolinguística (PNL). Não tenho grandes conhecimentos sobre o assunto, mas uma figura conhecida que utiliza essa técnica é o Tony Robbins.

    De forma muito simplista, com a PNL você ressignifica situações, emoções ou o que precisar para mandar uma mensagem diferente para seu próprio cérebro. Assim, o cérebro passa a registrar tal situação de maneira diferente.

    3) Respirar fundo

    Essa é uma dica que muitas pessoas recomendam para os momentos de dificuldade. Realmente ajuda a dar uma desacelerada. Há algumas técnicas de respiração, como inspirar e expirar lentamente 10 vezes.

    4) Fazer alguma coisa por mim

    Pensar um pouco em mim e fazer algo que eu goste auxilia no combate às emoções ruins. Caso você não tenha muito tempo, pode ser algo simples, como ler por 15 minutos, comer algo gostoso, etc. Depende do seu gosto. 

    5) Tomar um banho gostoso

    Eu adoro tomar banho. É comum eu sair do banho pensando: “Nossa, como isso é bom”. Só que no dia a dia, muitas vezes o banho é um momento corrido e executado de forma automática. Se for possível, tome um banho relaxante e se concentre nesse ato.

    E aí, vocês têm outras dicas sobre o assunto? Me contem nos comentários.

  • Como se planejar para não enlouquecer no final do ano
    Organização,  Vida

    Como se planejar para não enlouquecer no final do ano

    Eu não sei vocês, mas não sou um grande fã dos finais de anos. Parece que conforme vamos nos aproximando de dezembro, começa uma contagem regressiva e temos que resolver a vida inteira antes de janeiro chegar.

    Minha sensação é de que tudo que não foi feito ao longo do ano tem que ser feito/finalizado até o dia 31 de dezembro, como se o mundo fosse acabar e a vida não fosse continuar em janeiro. Sabemos que o mundo não vai acabar, mas a virada do ano traz uma sensação de renovação, né. Acho que por isso a maioria das pessoas fica nessa de querer resolver tudo.

    Se você é como eu e quer passar um final de ano mais tranquilo, temos que nos planejar. Quando mais nos organizarmos, mais vai sobrar tempo para descansar, curtir a família e fazer o que realmente importa. Confira aqui algumas dicas para se planejar e não enlouquecer no final do ano.

    Não deixe as coisas para a última hora

    Essa é a dica principal. Com base nela, se organize para seguir as outras dicas com antecedência.

    Desapegue

    O final de ano é uma excelente época para fazermos aquela limpa em casa, porque sempre acabamos comprando ou ganhando coisas novas. Então é hora de abrir espaço para o novo entrar e aproveitar para fazer uma boa ação ou até mesmo ganhar um dinheiro extra. Se não for possível fazer um destralhe geral na casa, selecione as áreas mais críticas.

    Presentes

    Ninguém merece encarar o comércio lotado às vésperas do Natal. Para evitar isso, planeje a compra dos presentes com antecedência. Faça uma lista com todas as pessoas que você irá presentear, do porteiro ao seu filho.

    Defina um valor para gastar com cada presente e já pense em umas duas opções de presente para cada pessoa (caso não encontre a primeira opção). Assim, você já sai de casa sabendo o que vai procurar, o que facilita a vida e diminui o tempo gasto na busca.

    Cartões

    Não sei se alguém ainda tem o hábito de enviar cartões pelos Correios. Caso tenha, é hora de comprar os cartões, preencher os envelopes e levar aos Correios até o final de novembro, para que cheguem antes do Natal no destino final.

    Em tempos de Whatsapp, é legal cultivar uma tradição que vai na contramão da tecnologia. Tenho certeza que muitas pessoas ficariam surpresas ao receber um cartão.

    Decoração

    Gosto de montar a decoração natalina já em novembro. Assim temos mais tempo de curtir o nosso espaço decorado. Não sei se você é adepto de uma decoração mais minimalista, ou se é do tipo que gosta de enfeitar a casa toda.

    Se você gosta de enfeitar bastante a casa, separe um dia para fazer isso. Guarde decorações cotidianas da casa para sobrar mais espaço para os itens festivos. Verifique se precisa comprar algum item novo para complementar a produção ou para substituir algo que tenha quebrado.

    Prepare o lar caso vá receber hóspedes

    Se você for fazer comemorações de final de ano na sua casa, verifique com antecedência o que precisa ser feito para deixar a casa pronta. Se for receber visitas para dormir, a sua lista de verificações pode ser ainda maior. Tem copos suficientes? Precisa fazer alguma manutenção na casa?

    Como se planejar para o final de ano

    Organize a sua agenda

    Final de ano também é época de muitas festinhas e confraternizações. Organize a sua agenda para que você consiga participar de todas as comemorações que te interessar.

    Finanças

    Faça as contas de quanto vai receber nos próximos meses (novembro, dezembro e janeiro), incluindo 13º salário (caso você tenha um). Liste todos os gastos extras que terá e se esforce para se manter dentro do orçamento. Ninguém quer começar o ano endividado, afinal.

    Priorize

    Vamos ser sinceros. Aquela tarefa que você adiou durante o ano inteiro realmente precisa ser feita agora? Avalie quais são as suas prioridades e deixe o resto para depois (ou para nunca).

    Faça listas

    Não confie na sua cabeça. Faça listas! Liste o que precisa comprar, quem precisa contatar, o que precisa fazer em casa, o que precisa organizar, etc etc. Cada vez que sair de casa, aproveite para ver tudo que dá para resolver da sua lista na rua.

    Descanse

    Separe um tempo para descansar. A semana que antecede o Natal é um ótimo momento para fazer uma pausa e fugir da loucura do mundo. Não estou falando necessariamente de viajar. Se você puder programar uma viagem, melhor ainda.

    Mas se não puder, aproveite para descansar em casa mesmo, faça alguma coisa que você goste, vá passear pela sua cidade. Desacelere!

    Essas são as minhas dicas. Agora me conta: quais são os seus truques para fugir da correria do final de ano?

  • Vida

    Quando imprevistos acontecem

    Lata deitada em uma prateleira de um refrigerador.

    Estou sem geladeira. Na quarta-feira à tarde, abri o freezer da geladeira para pegar algo e reparei que havia pequenos cristais de gelo em volta das embalagens que lá estavam, o que não era normal. Apesar de estranhar, não dei muita importância ao fato.

    No dia seguinte cedo, abri a porta da geladeira para pegar alguma coisa e notei que tinha uma sujeira líquida na parte superior da porta. Deu pra notar que aquele líquido estava vindo do freezer. Abri o freezer e percebi que as coisas estavam descongelando.

    Desligamos o refrigerador da tomada e ligamos novamente na esperança de que voltasse a funcionar. Limpamos o grosso e fomos trabalhar. Quando voltamos na hora do almoço, esperançosos, percebemos que tanto a parte da geladeira quanto a parte do freezer não estavam funcionando. A essa altura, as coisas já estavam ainda mais descongeladas. Pra piorar, o dia estava super quente.

    Na tentativa de evitar que as coisas estragassem, meu marido correu para comprar sacos de gelo para colocar os alimentos para gelar. Desligamos o refrigerador novamente, mas agora com a intenção de deixar mais de 24 horas desligado. (Uma outra vez em que a geladeira deu problema, fizemos esse descongelamento de mais de 24 horas e resolveu).

    Aqui outro parêntese. Eu gosto muito de praticidade na minha vida. Por isso, tenho o hábito de manter meu freezer sempre mais para cheio. É muito raro ele não estar pelo menos 50% cheio. Tenho sempre opções de carnes para fazer, assim como alguns alimentos prontos, como feijão, arroz, carne moída, frango desfiado, enfim…

    Portanto, a geladeira até que não estava tão cheia, mas o freezer… Foi necessário comprar gelo na hora do almoço. À noite, meu marido levou o que cabia para a casa do meu irmão, e comprou mais gelo para o que ficou em casa. No outro dia de manhã, mais gelo. Na sexta-feira na hora do almoço, resolvemos tentar ligar novamente. Nada de funcionar.

    Marcamos com um técnico para ir lá dar uma olhada, mas como íamos viajar no final de semana, a visita dele ficou para segunda-feira cedo. A essa altura, eu já tinha conversado com meu marido e tínhamos decidido que, caso desse para consertar, só mandaríamos para o reparo se fosse algo que ficasse pronto em até 1 dia. Se fosse algo que dependesse de trocar uma peça, por exemplo, ia demorar muito e não poderíamos ficar tanto tempo assim sem geladeira. 

    Bom, o técnico foi lá hoje e constatou que o motor havia queimado. Ou seja, íamos precisar comprar outro refrigerador. A gente já tinha começado a dar uma pesquisada em modelos. Refinamos nossa pesquisa (inclusive pedimos dicas ao técnico, afinal, é uma pessoa que sabe que marcas dão mais problema e tal) e saímos pela manhã para comprar uma geladeira nova. Optamos por comprar em loja física porque o prazo de entrega é menor do que em uma loja virtual. E eu ainda saí determinada a conseguir um preço semelhante ao visto na internet.

    Aliás, aproveite para conferir o post 12 Dicas para economizar. Assim você pode ter ideias de como economizar e guardar um dinheiro para esses imprevistos financeiros.

    No fim, acho que fizemos um bom negócio, porque pechinchamos e pagamos apenas cerca de R$ 90,00 mais caro do que na loja online mais barata. O duro é que o produto ainda vai demorar 2 dias para chegar.

    Resumindo, resolvi contar essa história doméstica porque em tempos de vida perfeita no Instagram, parece que nada de errado ou ruim acontece com os outros, apenas com a gente. Precisamos nos lembrar diariamente que, sim, os problemas também acontecem com os outros, até com as celebridades, mas algumas pessoas optam por não mostrar isso. Escolhem mostrar apenas o lado bom da vida. Porém, a realidade é que as coisas quebram, estragam, temos diversos problemas o tempo todo, nem por isso a nossa vida é ruim ou a dos outros é melhor. Vamos nos lembrar disso!

  • Organização,  Vida

    Como organizar uma festa infantil

    Neste final de semana comemoramos o aniversário de um ano do meu filho e achei que seria interessante compartilhar com vocês como foi o processo de organização da festa infantil. O meu primeiro passo foi pensar na data e em um tema para a festa. No caso dele, a festa foi do Mundo Bita. Logo em seguida, fiz a lista de convidados e estipulei um valor médio de orçamento para gastar.

    Como organizar uma festa infantil


    Definindo o local 

    O próximo passo foi definir o local. Como eu moro em um apartamento bem pequeno e não tem salão de festas no meu prédio, optei por fazer uma festa em um buffet infantil. Pedi indicações aos conhecidos e pesquisei na internet opções na minha cidade.

    Fui visitar alguns que estavam dentro da faixa de preço que eu defini. Como eu sabia que faria a festa em um buffet, comecei a pesquisar com cerca de 6 meses de antecedência, o que foi bom porque a maioria dos locais ainda tinha a data disponível. Se eu tivesse esperado um pouco mais, talvez vários buffets já não tivessem mais a data que eu queria.

    Cardápio

    O buffet que eu contratei já fornece a parte de comida, incluindo os doces, bolo e uma decoração simples, mas há uma variedade de opções de cardápio. Já que a festa ia ser na hora do almoço, achei que ficar só no salgadinho e belisquinhos não ia ser uma boa ideia. Por isso acabei escolhendo uma opção de cardápio com massa como prato principal.

    Foto

    Resolvi investir em um fotógrafo para não ter que me preocupar em fazer os registros deste dia. Novamente pedi indicações, cotei preços e escolhi uma opção que cabia no meu bolso. Fiz isso com uns 4 meses de antecedência. A fotógrafa que escolhi apenas tira as fotos e me entrega um arquivo digital depois. Não há um álbum físico, o que diminui o custo do serviço.

    Lembrancinhas

    O buffet fornece uma lembrancinha padrão, mas não é personalizada e não é em quantidade suficiente para o número de convidados. Então optei por encomendar uma lembrancinha personalizada à parte.Cerca de 2 meses antes da festa, escolhi a lembrancinha. Como na decoração do buffet não há nenhum centro de mesa, optei por um modelo que também vai servir para decorar as mesas.

    Bebida alcoólica

    No serviço que contratamos não estão incluídas bebidas alcoólicas, mas meu marido faz questão de uma boa cerveja ou chopp. Acabamos nos decidindo pela cerveja. Começamos a acompanhar os preços e, assim que encontramos uma promoção, já fizemos a compra. Um dia antes da festa levamos as bebidas para o salão para os funcionários colocarem para gelar a tempo.

    Looks

    Achei legal a ideia de vestir meu filho de acordo com o tema da festa. E também gosto da ideia da família ir toda combinando com o bebê hehehe. Faltando mais ou menos 45 dias para a festa, fui atrás dos looks da família. Comprei pela internet um kit com as partes de cima para nós 3 (body para meu filho, camiseta para mim e meu marido). Para completar os looks, uns 15 dias antes da festa comprei uma calça para mim e outra para meu filho na minha cidade.

    Convite

    A maioria dos nossos convidados são de outras cidades. Por isso, resolvi enviar um convite pelo WhatsApp mesmo. Pesquisei na internet e eu mesma fiz um convite personalizado, mas também é fácil de achar para comprar. Enviei com uns 30 dias de antecedência para que as pessoas pudessem se programar. Pedi que os convidados confirmassem presença até 8 dias antes do evento, mas as pessoas ignoram essa parte de confirmar a presença.

    Resumindo, achei que não foi muito difícil organizar essa festa infantil. Em primeiro lugar, porque me programei com antecedência. Em segundo lugar, porque pude contratar o buffet que agilizou boa parte do serviço. A festa foi super legal, todos adoraram!

  • Minimalismo,  Vida

    Assisti: Movimento Tiny House

    Tiny house branca com deck.

    Vi recentemente que a Netflix lançou uma série chamada “Movimento Tiny House”. De cara me interessei e em um final de semana maratonei a primeira temporada, que é o que foi disponibilizado por enquanto.

    A série traz um conceito de casas minúsculas que ainda não encontramos no Brasil, pois são casas móveis. Não são motor homes ou trailers, mas são micro casas que podem ser transportadas de um lugar para o outro, podem ser colocadas no quintal de uma casa maior, etc.

    Cada episódio mostra uma família e fala dos motivos pelos quais ela decidiu optar por uma tiny home. É muito interessante ver que com boas ideias e criatividade é possível otimizar ao máximo o pequeno espaço do lar. Há todo um mercado especializado em móveis multifuncionais e planejados para otimizar esses micro espaços. Além disso, a série também traz algumas dicas para quem precisa ou deseja reduzir a quantidade de coisas que possui.

    Particularmente, eu gosto bastante desse conceito de pequenos lares. Quando eu casei, fui morar em um apartamento de menos de 40 m2 em São Paulo. Eu adorava meu apê. É muito prático viver em um pequeno lar, fora que muitas vezes, acho que pode parecer até mais aconchegante. Alguém mais assistiu à série? O que acharam?

  • Maternidade,  Vida

    Privação de sono e saúde mental na maternidade

    Pessoa dormindo no sofá.
    Foto por Pixabay em Pexels.com

    Precisamos falar sobre saúde mental. Mais especificamente, precisamos falar sobre saúde mental na maternidade. Tenho um bebê de 10 meses. Ele não só não dorme à noite inteira, como no último mês passou por sua pior fase de sono. Todas as noites ele acordava 4 ou 5 vezes.

    Para quem já vinha de 9 meses de noites mal dormidas (ou até mais, se considerarmos que no final da gravidez as idas ao banheiro e o tamanho da barriga já atrapalhavam um pouco o sono), esse último mês foi a gota d´água.

    Eu senti na pele como a privação de sono afeta a nossa vida. O cansaço físico é apenas uma pequena parte dos prejuízos que nos assolam. O esgotamento mental e suas consequências são as piores partes da privação de sono.

    Eu me vi mais irritada e impaciente do que o normal. Qualquer coisa me dava vontade de chorar. Um copo de água que eu derramasse era motivo de desespero, não pela bagunça que eu teria que limpar, era só um desabafo por tudo que eu estava sentindo.

    Cansaço, irritabilidade, falta de disposição, vontade de chorar, stress, falta de concentração, falta de tempo. Não dava para fazer nada na minha vida além do estritamente necessário. Não dava para cuidar de mim, do meu casamento, do meu cachorro, ou até mesmo cuidar com mais disposição do meu filho. As horas de sono eram tão poucas que eu não podia abrir mão de nem um minuto sequer.

    A virada

    Fomos ao pediatra desesperados em busca de uma solução. Ele alertou que precisávamos mudar isso. Do contrário, em poucos meses eu teria que procurar a ajuda de um psiquiatra.

    O médico nos deu algumas orientações sobre o sono do nosso filho e nós colocamos em prática no mesmo dia. Não foi fácil. Hoje, uma semana depois, as coisas estão ficando mais tranquilas. A noite passada ele foi dormir às 19h45 e acordou só às 4h30 da manhã. Logo voltou a dormir e foi até às 6h40.

    Claro que ainda me sinto cansada, mas aos poucos a vida vai entrando nos eixos. Gente, isso é só um alerta. Se vocês estiverem passando por uma situação parecida, procurem ajuda. A privação de sono é algo muito sério e muito prejudicial em diversos aspectos da nossas vidas.

  • Finanças,  Minimalismo,  Vida

    Vale a pena comprar um Kindle?

    Resenha Kindle Paperwhite

    Comprei um Kindle há cerca de um ano. O Kindle é o leitor de livros digitais da Amazon. Não sou uma grande leitora, mas ele contribuiu muito para eu aumentar a quantidade de livros lidos.

    O meu modelo é o Paperwhite, aquele que tem luz interna, que permite ler em um ambiente escuro, mas sem incomodar quem estiver perto de você. Consultei hoje na Amazon e a minha versão está indisponível. Mas há uma nova versão à prova d’água que está custando R$ 499,00.

    A bateria do Kindle dura muito, dias e dias. Além disso, ele é super leve. Dá para levar na bolsa para onde for. Cabem muitos livros nele. Os livros digitais são mais baratos que os livros físicos.

    Além do que, você encontra vários livros para baixar gratuitamente na internet em sites confiáveis. Se você lê muito, ainda existe a possibilidade de assinar o Kindle Unlimited, que é tipo a Netflix de livros da Amazon.

    Outra vantagem é que o Kindle é um aparelho desenvolvido especialmente para a leitura. Por isso, diferentemente de um celular ou tablet, por exemplo, ler no Kindle não cansa a nossa vista. O dispositivo não reflete a luz solar, o que permite ler em ambientes com luminosidade diversa.

    Você também pode personalizar algumas configurações de leitura como o tipo e o tamanho da fonte, além da intensidade da iluminação. O Kindle ainda possui um navegador para acesso à internet, mas não é muito prático para ficar navegando. O ideal é usar mais com a função de entrar nos sites para baixar livros.

    Outra característica é que você pode fazer anotações no texto ou mesmo consultar o dicionário durante a leitura. E depois você pode fazer uma busca pelas suas notas.

    Só não recomendo o Kindle para aqueles livros que tem muitas e belas imagens ilustrativas, porque no aparelho é tudo em preto e branco. É o único porém. De resto, vale muito o investimento.

    Alguém mais aí tem o Kindle ou algum outro e-reader? Contem aqui nos comentários!