• Caderno com celular em cima ao lado de um notebook
    Finanças,  Vida

    O que eu aprendi alterando meus planos de internet e celular

    Fazia algum tempo que meu marido estava insatisfeito com a velocidade da internet que temos em casa. Apesar de termos um plano contratado de 15 Mega, muitas vezes a velocidade recebida ficava bem abaixo disso. Por isso ele queria mudar de plano.

    Confesso que não fui muito atrás disso, porque achei que acabaríamos pagando mais para ter um pacote melhor. E, apesar de nossa internet não estar legal, não estávamos usando tanto a ponto de me incomodar. Estávamos pagando o valor de R$ 120,00 por mês.

    Outras contas que começamos a achar que não estavam sendo tão vantajosas eram as nossas de celular. Ambos tínhamos planos controle da operadora Tim, no valor de R$ 59,99 cada. Na verdade, já havíamos recebido um SMS informando que a partir de 2020 a mensalidade subiria para R$ 64,99.

    Acho que não pagamos muito, mas pensamos que dava para diminuir esses valores.

    O processo de mudança

    Agora nas férias meu marido resolveu ir atrás desse assunto. Ele fez uma pesquisa virtual e viu que havia opções de internet residencial mais interessantes que a nossa, e isso na mesma empresa em que já somos clientes (Net).

    Para quem não sabe, a Net e a Claro são uma coisa só agora. Portanto, se um de nós levasse o nosso número da Tim para a Claro poderíamos ter ainda mais vantagens. Achei um ótimo negócio.

    Tentamos fazer as alterações de plano pela internet, mas não deu certo. Então entrei em contato com a Claro / Net falando que eu tinha visto uma opção de pacote e que queria alterar meu plano residencial e fazer a portabilidade do celular.

    Fiquei surpresa quando a atendente, logo de cara, me ofereceu um plano ainda mais vantajoso do que o que eu tinha visto. A minha reação foi de desconfiança, mas repeti a pergunta para atendente para ter certeza de que eu não estava entendendo errado. Ela me garantiu que era aquilo mesmo que eu tinha entendido.

    Conclusão: mantivemos a nossa operadora (Net), mas trocamos o nosso plano de internet por um melhor, de 35 Mega. Fiz a portabilidade do meu celular de um plano controle da Tim para um plano pós da Claro, com uma quantidade de dados de internet bem superior a que eu tinha antes.

    Fazendo as contas

    Por esses dois serviços vou pagar R$ 120,00 no débito. Sim, se eu escolhesse o débito como forma de pagamento, ao invés de boleto, havia um desconto a mais. Não pensei duas vezes.

    Mas meu marido ainda estava com o plano dele da Tim. Ele ligou na operadora e apenas perguntou se eles poderiam lhe oferecer condições melhores do que as já contratadas porque a Claro estava com ofertas melhores de planos. A colaboradora disse que poderia oferecer o plano que ele já tinha por R$ 49,99, o que ele aceitou prontamente.

    Dessa maneira, sem muito esforço, ao invés de pagar R$ 240,00 por mês (120 da internet + 59,99 + 59,99), passamos a pagar R$ 170,00 (120 do combo internet-celular + 49,99 da Tim). Uma economia de R$ 70,00 por mês.

    Mas e daí?

    A moral da história é a seguinte… Às vezes desistimos de algo sem nem tentar por achar que vai ser muito trabalhoso e não vai dar resultado. No entanto, muitas vezes podemos nos surpreender positivamente. Mas só vamos saber se tentarmos.

  • Carteira com moedas caindo para fora e uma lupa sobre elas
    Finanças

    10 ideias para fazer renda extra rapidamente

    O custo de vida no nosso país está bem alto. Dar conta de todas as despesas não é uma missão das mais fáceis. Por isso, muita gente busca aumentar a renda, seja porque está desempregado, seja porque o salário é insuficiente. Pensando nisso, fiz esse post. As dicas aqui apresentadas exigem pouco ou nenhum investimento e dão retorno financeiro rápido.

    Confira 10 ideias para fazer uma renda extra rapidamente

    1. Tradutor

    Se você é fluente em inglês ou em outra língua, pode oferecer serviços de tradutor de texto. É possível captar clientes diretamente, através da sua rede de contatos, ou pelo intermédio de plataformas como a Workana.

    1. Vendedor de itens parados em casa

    Todo mundo tem em casa algum item em bom estado que não está mais usando. Seja uma peça de roupa, uma mochila ou um eletrônico. Olhe com atenção na sua casa e selecione aqueles objetos que podem ser vendidos.

    Você pode anunciar online em grupos do Facebook, no Enjoei, na OLX ou no Mercado Livre. Mas também é possível vender pessoalmente. Você pode divulgar para os seus conhecidos, fazer um bazar em casa ou vender para brechós, sebos, lojas de móveis usados, etc. Depende do que você tiver para vender.

    1. Revendedor de produtos de beleza

    Essa é uma forma de renda extra que já existe há muito tempo mas sempre funciona. Venda produtos por catálogos. Há inúmeras marcas no mercado e produtos de beleza são muito procurados, mesmo em épocas de crise.

    1. Redator

    Para quem gosta e tem facilidade com a escrita, ser redator online é uma ótima ideia. É possível conseguir jobs por meio de plataformas online, pelo intermédio de agências de marketing, ou mesmo diretamente, através de sua rede de contatos. Eu sou formada em Jornalismo e comecei a utilizar esta opção de renda extra. Está sendo ótimo para meu aperfeiçoamento.

    1. Editor de vídeos

    Com a popularização do Youtube, muita gente está investindo na produção de vídeos, mas para editar os conteúdos leva tempo e exige algum conhecimento. Por isso, vários youtubers optam por terceirizar o serviço de edição para que tenham mais tempo para focar na produção de material.

    1. Motorista de aplicativo

    Os aplicativos de transporte estão ganhando espaço na vida dos brasileiros. Se você tiver um carro, cadastre-se em alguma plataforma e comece a trabalhar logo!

    Aliás, não necessariamente você precisa ter um carro próprio. Conheço gente que mesmo sem ter carro fez as contas e entendeu que valia a pena alugar um automóvel para começar a prestar o serviço de motorista de aplicativo.

    1. Artesão

    Se você possui alguma habilidade manual ou tem disposição para aprender, essa pode ser uma boa ideia. Aqui há um infinito de possibilidades e a internet é uma ótima fonte de inspiração. Inclusive há muitas opções de artesanato que utilizam produtos recicláveis, o que torna o investimento inicial irrisório.

    O final de ano é uma ótima época para começar, pois muitas pessoas trocam presentes ou compram aquela lembrancinha para presentear as pessoas queridas.

    Um ótimo local para vender esse tipo de produto artesanal é o Elo7.

    1. Fotógrafo

    Há vários bancos de imagens gratuitas na internet. Se você consegue fazer fotos legais, é possível vender para esses sites e fazer uma grana extra.

    1. Cuidador de pets

    Ter pets é uma alegria e é a escolha de muitas pessoas. No entanto, quando o dono precisa viajar é aquele problema. Eu mesma já passei por esse tipo de situação.

    Atualmente há alguns sites, como o Dog Hero e o Pet Anjo, nos quais você pode se cadastrar para cuidar de pets de terceiros. Basta ter algum espaço em casa e gostar de animais. Não é preciso nenhum investimento para começar.

    1. Gestor de mídias sociais

    Marcar presença online, especialmente nas redes sociais, é essencial para as empresas que querem crescer. Mas ter tempo para gerenciar todas as mídias pode não ser uma tarefa fácil. Sendo assim, muitas marcas estão contratando alguém para administrar suas contas nas redes sociais. Se você é conectado e está sempre nas redes, pode ser uma boa opção para ganhar dinheiro.

    Gostou das dicas? Você costuma fazer algo para conseguir uma renda extra? Deixe um comentário e conte sua experiência.

  • Finanças,  Minimalismo

    Não caia na besteira de pagar mais para ter mais do que você não precisa

    Esses dias eu recebi uma ligação da Claro-Net que me fez pensar.  A atendente me ofereceu um plano de internet com uma velocidade maior do que a que eu tenho contratada hoje, além de um pacote de TV e wifi fora de casa.

    Nos três primeiros meses eu pagaria R$ 10,00 a menos do que pago hoje por mês. A partir do quarto mês, minha mensalidade ficaria R$ 10,00 mais cara do que é hoje, sendo que no valor que pago hoje só está incluída a internet fixa.

    Teoricamente o que ela estava me oferecendo não era ruim. No entanto, o que eu tenho hoje já me atende. Portanto, eu recusei a oferta. A moça ficou insistindo, tentando me convencer, mas me mantive firme. Depois que desliguei o telefone fiquei pensando sobre aquilo.

    A moça não estava se conformando com a minha recusa. Imagino que a maioria das pessoas deva aceitar esse tipo de oferta sem nem pensar muito, já que estavam oferecendo mais benefícios por uma mensalidade “apenas” R$ 10,00 mais cara.

    Mas para que vou pagar esse valor a mais sendo que o pacote que eu tenho hoje já me atende?? Esses R$ 10,00 mensais podem virar R$ 120,00 em um ano, sem considerar juros. Não é nenhuma fortuna, mas é um valor que eu posso usar de uma forma melhor.

    Mão segurando uma flor. Não caia na besteira de pagar mais para ter mais do que não precisa.

    De um modo geral, o ser humano tem uma certa mania de grandeza, de querer sempre mais, de não se satisfazer com o que tem. Promoções do tipo “pague 3 leve 2” fazem o maior sucesso. Muitos compram sem pensar se vão conseguir usar os 3 itens antes da validade, por exemplo. Aí acontece o desperdício e o barato sai caro.

    Está na hora de refletirmos mais sobre nossos hábitos de consumo. Se o que tenho já é o essencial, não preciso de mais. É o que prega o minimalismo.

    De acordo com o site Significados, “Essencial é o indispensável, o necessárioé algo muito importante que não pode faltar. Do latim essentiale, que se refere à essência, ou seja, a substância, a ideia principal, o que constitui a natureza íntima das coisas.”

    O essencial pode variar de pessoa para pessoa, e tudo bem. Cada um tem que buscar o que é importante e suficiente para si.

  • Dicas infalíveis para economizar no mercado
    Finanças

    Dicas infalíveis para economizar no mercado

    Tenho a sensação de que cada vez que vou ao supermercado, as coisas estão mais caras. Fico impressionada com o tanto que gasto comparado à pequena quantidade de itens que levo para casa.

    Estou procurando prestar mais atenção às minhas compras para conseguir economizar. Se você também está precisando economizar no mercado, confira abaixo as dicas que separei.

    Monte um cardápio

    Olhe o que você ainda tem em casa, tanto na geladeira quanto na despensa. Baseado nisso, monte um cardápio para as próximas refeições, de forma que aproveite o que você ainda tem em casa. Afinal, desperdício de comida é desperdício de dinheiro.

    Faça uma lista

    Após montar um cardápio, é hora de montar a lista. Essa dica é básica, mas necessária. Faça uma lista e se atenha a ela. Eu gosto de levar a lista em papel mesmo e ir riscando com uma caneta o que eu vou colocando no carrinho. Mas você também pode optar por criar uma lista em algum aplicativo no celular.

    Calcule o preço por unidade

    Como saber se um pacote com 48 fraldas está mais caro que o pacote com 96? Calculando o preço por unidade. Para isso, tenha em mãos uma calculadora. Temos a tendência a achar que a embalagem maior vai ter o preço mais barato, mas isso não é uma regra. Além disso, não adianta comprar a embalagem maior que tem um preço unitário menor se você não for conseguir consumir aquele produto até a data de vencimento. Sua economia terá ido para o lixo.

    Evite passar nos corredores de produtos que você não precisa comprar

    Se não tem nenhum item de higiene pessoal na sua lista, por exemplo, não passe nesse setor. Isso só te fará perder tempo e você ainda pode cair na tentação de querer levar algo que não esteja precisando.

    Não vá ao supermercado com fome

    Eu sei, essa dica é realmente super batida, mas funciona. Tem grandes chances de você comprar alimentos além do necessário se você for às compras com fome.

    Cuidado com as falsas promoções

    Não acredite em todas as ofertas do supermercado. Não é porque está escrito em destaque “promoção” que aquele produto realmente está com um preço mais baixo do que o normal. Preste atenção! Observe o preço e analise se realmente é uma oferta real ou apenas um chamariz para pegar consumidor desatento.

    Aproveite os descontos reais

    Em oposição à dica anterior, preste atenção aos descontos reais. Realmente tem vários mercados cheios de falsas ofertas por aí. Porém há também os casos de promoções verdadeiras. Se for algo que você precisa comprar, aproveite.

    Compre os produtos da estação

    Dicas infalíveis para economizar no mercado

    Os alimentos da estação costumam estar melhores e mais baratos do que outros produtos. Assim, você economiza no preço e leva um produto que vai estar com uma qualidade superior do que aqueles fora da estação.

    Frequente mercados mais baratos

    Aqui vale você analisar sua situação. Não sou muito a favor de sair rodando a cidade em busca do mercado mais barato. Afinal, tempo é dinheiro. Mas se há 3 redes diferentes de supermercados próximos à sua casa, compare os preços e comece a frequentar aquele que tiver os preços mais em conta.

    Quando possível, escolha uma marca mais barata

    Tem produtos com os quais eu acho que não dá para comprar do mais barato, como detergente para lavar louças, por exemplo. Mas também não precisa comprar a marca mais cara. Já no caso de alguns itens, como água mineral, não vejo diferença de marca. Veja o que faz sentido para você.

    Aproveite também para experimentar novas marcas. Muitas vezes temos preconceito com marcas mais baratas sem nunca termos provado. Aqui ainda vale mais uma dica. Experimente as marcas dos supermercados.

    Muitas redes grandes possuem linhas de marcas próprias. Porém normalmente elas não produzem, apenas reembalam produtos comprados de outros fabricantes.

    Então você pode comprar bons produtos assim. Se quiser saber quem é o fabricante, basta olhar na embalagem, vai estar escrito bem pequenininho algo como “fabricado por”.

    Compre menos produtos industrializados

    Essa dica vale para mim também. Produtos industrializados costumam sair mais caros e não são tão nutritivos quanto comida de verdade (arroz, feijão, carne, frutas, legumes). Se você compra muitos produtos industrializados, tente ir diminuindo o consumo deles aos poucos. Você vai ver como isso vai fazer diferença na sua conta. É bom para o seu bolso e para a sua saúde.

    Não leve as crianças

    As crianças não têm muito autocontrole e podem se sentir facilmente atraídas por produtos supérfluos. Em outros casos, os próprios adultos podem ficar tentados a presentear os pequenos com algum item do mercado. Portanto, se você tiver opção, evite levá-las com você.

    Confira a validade dos produtos

    Não adianta comprar um pack com 8 iogurtes porque está mais barato se eles vão vencer daqui 1 semana e você costuma levar 2 semanas para consumir. Sempre confira a validade dos produtos antes de colocar no carrinho.

    Faça compras semanais ou quinzenais

    Quando você faz compras muito grandes, fica mais difícil de controlar a quantidade que vai precisar para não sobrar comida. Se você for ao mercado semanalmente ou quinzenalmente, pode minimizar o desperdício de alimentos.

    Defina um limite para gastar

    Ir às compras com um limite para gastar pode dar um pouco mais de trabalho, mas é uma ótima estratégia para controlar os gastos. Defina quanto você pode gastar por semana ou por ida ao mercado e se mantenha dentro do limite.

    Confira seu cupom fiscal

    Às vezes pode acontecer de quando passar um produto no caixa, o valor estar diferente (maior) do que estava na prateleira. Ou também pode acontecer do funcionário da loja se confundir e passar o mesmo produto mais de uma vez. Por isso, sempre confira sua nota fiscal. Se conseguir conferir já na tela do caixa, fica ainda mais fácil de corrigir caso seja necessário.

    Agora eu quero saber quais são as suas estratégias para economizar nas compras!

  • Finanças,  Organização

    Organização financeira: primeiros passos para economizar

    Organização financeira: primeiros passos para economizar
    Foto por maitree rimthong em Pexels.com

    Minha mãe sempre me ensinou a ser uma pessoa econômica e guardar dinheiro. Quando eu conheci o meu marido, aprendi a fazer isso de uma forma mais organizada. Ele mantinha uma planilha no Excel onde separava uma aba por mês e listava as categorias e os valores gastos.

    Atualmente nós usamos o aplicativo Minhas Economias. Na verdade, uso mais a versão para PC mesmo. Nós não deixamos passar nada. Se doamos R$ 1,00 para alguém na rua, anotamos no nosso extrato de gastos. Isso ajuda muito a ter um controle e a saber em que estamos gastando nosso dinheiro.

    Muitas vezes não sabemos como o dinheiro acaba tão rápido e, fazendo um controle, podemos identificar que aquele cafezinho diário, aparentemente inocente, está custando R$ 100,00 por mês, por exemplo.

    Aqui é só um exemplo. A questão não é sobre o cafezinho. Se tomar um café na rua for importante para você e sua situação financeira não estiver apertada, sugiro que o mantenha.

    Mas pode ser que, sem perceber, você esteja gastando seu dinheiro com algo que nem seja importante para você. Nesse caso, o controle financeiro vai ajudar a identificar esse gargalo.

    Além disso, uma boa organização financeira auxilia no planejamento de nossas metas e objetivos. Organizando as contas, você consegue programar melhor a compra de um celular, uma viagem dos sonhos, entre outras coisas.

    Como começar

    Minha sugestão é a seguinte: faça uma planilha, procure um aplicativo que te agrade ou use um caderno. A ferramenta não importa. Escolha o que você achar mais prático e comece a registrar todos os seus gastos, separando por categorias.

    Defina bem as categorias, crie subcategorias e registre tudo direitinho. Se você fizer anotações muito genéricas, vai ficar mais difícil de identificar para onde está indo o seu dinheiro.

    Seja honesto e anote tudo mesmo. Ao final do mês, veja quanto você gastou. Registre também sua receita mensal. Olhe bem para seu extrato e defina um limite de gastos mensal. Lembre-se de incluir um orçamento para algum lazer e imprevistos que acabam surgindo.

    Após definir seu orçamento mensal, é hora de separar um valor para investir. Por exemplo, vamos supor que sua média mensal de gastos seja R$ 1.900,00 e seus ganhos mensais sejam de R$ 2.100,00. Então, vai sobrar R$ 200,00 para você guardar.

    Se você tiver um salário fixo, você pode ter um valor pré-definido para investir. Quando receber, já tire da conta o valor que irá economizar. Caso não tenha um rendimento fixo, tudo bem também. Sabendo quanto você gasta (se imponha um limite), é só subtrair dos seus ganhos para definir o valor a economizar.

    O importante é o seguinte. Após começar a registrar suas despesas, você deve fazer uma análise da sua situação financeira. Quanto está gastando? Dá para diminuir algum gasto?

    A partir desta análise, defina um valor para investir todo mês. Se ficar esperando sobrar dinheiro, nunca vai sobrar. Assim que receber seu salário, já separe o valor a investir e aplique o quanto antes.

    Agora que você já sabe como começar, deixa eu te contar 12 dicas para economizar.

  • Finanças,  Minimalismo,  Vida

    Vale a pena comprar um Kindle?

    Resenha Kindle Paperwhite

    Comprei um Kindle há cerca de um ano. O Kindle é o leitor de livros digitais da Amazon. Não sou uma grande leitora, mas ele contribuiu muito para eu aumentar a quantidade de livros lidos.

    O meu modelo é o Paperwhite, aquele que tem luz interna, que permite ler em um ambiente escuro, mas sem incomodar quem estiver perto de você. Consultei hoje na Amazon e a minha versão está indisponível. Mas há uma nova versão à prova d’água que está custando R$ 499,00.

    A bateria do Kindle dura muito, dias e dias. Além disso, ele é super leve. Dá para levar na bolsa para onde for. Cabem muitos livros nele. Os livros digitais são mais baratos que os livros físicos.

    Além do que, você encontra vários livros para baixar gratuitamente na internet em sites confiáveis. Se você lê muito, ainda existe a possibilidade de assinar o Kindle Unlimited, que é tipo a Netflix de livros da Amazon.

    Outra vantagem é que o Kindle é um aparelho desenvolvido especialmente para a leitura. Por isso, diferentemente de um celular ou tablet, por exemplo, ler no Kindle não cansa a nossa vista. O dispositivo não reflete a luz solar, o que permite ler em ambientes com luminosidade diversa.

    Você também pode personalizar algumas configurações de leitura como o tipo e o tamanho da fonte, além da intensidade da iluminação. O Kindle ainda possui um navegador para acesso à internet, mas não é muito prático para ficar navegando. O ideal é usar mais com a função de entrar nos sites para baixar livros.

    Outra característica é que você pode fazer anotações no texto ou mesmo consultar o dicionário durante a leitura. E depois você pode fazer uma busca pelas suas notas.

    Só não recomendo o Kindle para aqueles livros que tem muitas e belas imagens ilustrativas, porque no aparelho é tudo em preto e branco. É o único porém. De resto, vale muito o investimento.

    Alguém mais aí tem o Kindle ou algum outro e-reader? Contem aqui nos comentários!

  • Finanças,  Vida

    Os sapatos atuais estão com menos qualidade?

    De uns tempos para cá, tenho notado como vários sapatos meus estão estragando rapidamente. Achei que fosse algum caso isolado, mas os sapatos estragados estão se alastrando no meu armário.

    Diante disso, fica a dúvida: a qualidade dos calçados está cada vez pior ou eu que estou pisando muito errado? Prefiro acreditar na primeira opção. Não acho que eu saia por aí chutando o chão a todo momento.

    Sapatos sem qualidade

    Parece que os calçados atuais foram desenvolvidos para serem usados apenas sobre superfícies extremamente planas e lisas ou com carpete / tapete. Ou então eu tenho que andar como se estivesse pisando na lua, sabe?

    Eu ando mais disposta a comprar peças de qualidade, mesmo que tenham um custo um pouco mais elevado, mas que durem mais. No caso dos sapatos, parece que essa equação não funciona.

    O último estrago foi uma bota. Eu tinha uma botinha preta de cano curto e um pequeno salto embutido que eu adorava. Depois de alguns anos de uso, ela já estava bem judiada e achei por bem me desfazer dela. Como era uma bota muito versátil, quis comprar outra semelhante.

    Não saí e comprei a primeira bota que vi pela frente. Pesquisei, fui a algumas lojas, experimentei e finalmente escolhi uma. Paguei R$ 229,00, o que não considero barato. Na primeira usada, raspei, de leve, o pé no chão do estacionamento do meu prédio e pronto! Botinha arranhada na primeira usada.

    Eu considero que ando / piso normal. Agora os calçados não podem sobreviver a uma pisada um pouco mais brusca? Sou uma pessoa que procura consumir conscientemente. Estou cada vez mais consciente, mas assim fica difícil. Estou me vendo obrigada a trocar certos sapatos regularmente ou então andar com um visual desleixado.

    Isso tem acontecido com vocês também? Têm alguma dica de marca cujo custo benefício valha a pena?

  • Casa,  Finanças,  Minimalismo

    12 dicas simples para economizar

    Em tempos de crise muita gente tem que repensar os gastos para conseguir dar aquela economizada. Mas não só em épocas de crise, o tempo todo devemos nos preocupar com nossas despesas, evitando gastos desnecessários e deixando mais dinheiro para o que realmente nos importa.

    E aqui vai uma ressalva, porque o que é importante para mim, pode não ser para você; assim como algo que você valoriza, talvez eu não ache tão essencial assim. Enfim, defina quais são as suas prioridades.

    12 dicas simples para economizar

    Em todo caso, aqui vão 12 dicas para te ajudar a reduzir seus gastos:

    1) Cartão de crédito 

    Procure um cartão de crédito que não cobre anuidade. Se você já trabalha com algum cartão há bastante tempo e não gostaria de mudar, converse com a administradora do cartão e peça uma isenção de anuidade. Muitas empresas preferem oferecer a isenção do que perder o cliente.

    2) Tarifas bancárias

    Os bancos costumam cobrar uma tarifa de manutenção da conta corrente. No entanto, você tem direito a uma conta sem tarifa. Claro que essa conta sem tarifa não vai te dar muitos benefícios, mas dependendo do tanto de transações que você costumar fazer, pode ser suficiente.

    Caso uma conta sem tarifa seja pouco para suas necessidades, procure uma tarifa com o valor mais baixo possível ou opte por uma conta digital. Hoje em dia há várias opções no mercado.

    3) Celular

    Troque seu celular pós-pago por um plano controle ou pré-pago. Eu, por exemplo, costumava pagar R$ 62,55 em um plano controle da Claro com poucos benefícios. Após pesquisar outras opções, migrei para um plano pré da Tim, que custa R$ 35,00 e oferece mais vantagens do que eu tinha.

    4) TV a Cabo

    Já faz mais de 2 anos que cancelei meu pacote de TV a cabo. Eu tinha um pacote básico, e a maior parte do tempo eu assistia há uns 2 ou 3 canais apenas. Hoje só assino a Netflix.

    5) Telefone fixo

    Também já faz mais de 2 anos que não tenho telefone fixo e é algo que não sinto a menor falta. Acho que hoje em dia muita gente consegue viver sem isso, né.

    6) Supermercado

    Faça compras em mercados / supermercados. O que eu quero dizer é: evite estabelecimentos pequenos como padarias. Isso porque comprar um pacote de bolacha ou uma garrafa de refri na padaria sai bem mais caro do que comprar os mesmos itens no supermercado. Deixe a padoca só para o pãozinho mesmo.

    7) Conta de luz

    Só coloco o microondas e a máquina de lavar roupas na tomada na hora em que vou usar. Assim que termino de usar, já tiro da tomada. A televisão, eu ligo e desligo no botão, não deixo em stand by. Já o ferro de passar roupa, procuro ligar apenas uma vez por semana, que é o suficiente para as minhas necessidades. Enfim, esse tipo de atitude pode ajudar a dar uma reduzidinha na conta de luz.

    8) Comida

    Cozinhe mais em casa e coma menos na rua. Confesso que nesse quesito eu não sou um grande exemplo, porque adoro comer, mas cozinhar não é muito a minha praia. Outra dica em relação à alimentação é evitar desperdícios. Sou muito adepta do congelamento. Congelo arroz, feijão, bolo, brigadeiro, molhos etc.

    Por exemplo, se você tiver uma cenoura na geladeira quase estragando e não tiver intenção de consumi-la logo, descasque-a, pique e coloque no freezer. Se tiver alguns tomates bem vermelhos, faça um molho e congele também.

    9) Academia

    Muitas academias possuem opções de planos trimestral, semestral ou até anual, que costumam sair mais baratos que o plano mensal. Se você tiver certeza de que não vai desistir da atividade que pratica, opte por esses planos.

    10) Salão de beleza

    Tente aprender a fazer algumas coisas em casa. Eu não faço as unhas regularmente, mas é um desafio pessoal aprender a fazê-las sozinha. Por outro lado, não dispenso uma ida mensal ao salão para fazer a sobrancelha e a virilha. Priorize o que é mais importante para você e tente se virar sozinha com o que for possível.

    11) Roupas / bolsas / sapatos

    Analise a real necessidade de comprar alguma peça. Se for realmente necessário, tente procurar em um brechó primeiro. Esse tipo de opção de comércio está se popularizando, e hoje em dia é possível encontrar peças legais nesses lugares.

    12)Dica extra

    Use um app para controlar seus gastos. Anote lá tudo o que você gasta, mesmo as coisas pequenas. Assim você vai perceber melhor com o que está gastando o seu dinheiro e ficará mais fácil fazer alguns ajustes. Eu utilizo o Minhas Economias, mas há várias opções por aí.

    Espero que tenham gostado das dicas! E se tiverem outras dicas, vou adorar aprender com vocês!