• Corações de pano pendurados em um varal
    Minimalismo,  Vida

    Quando se faz necessário um destralhe de emoções

    Eu me considero uma pessoa ansiosa. Acho que sempre fui um pouco assim, mas hoje estou mais e tenho uma percepção melhor do que sinto.  

    Há alguns anos descobri o minimalismo. Na verdade, acho que eu já conhecia o conceito mas não sabia dessa nomenclatura “minimalismo”. Desde então, tenho tentado aplicar cada vez mais à minha vida.  

    Uma das coisas que sempre busco é o destralhe. Não pelo simples ato de desapegar, mas pelas consequências dessa atitude: manter em casa apenas o que amamos e faz sentido, ter mais tempo para o que realmente importa, buscar o que nos é essencial. 

    Destralhar pode não ser uma missão das mais simples. Algumas categorias são mais difíceis do que outras. Para algumas pessoas é mais fácil do que para outras. Eu mesma consigo me desfazer de algumas coisas com facilidade, mas de outras não.  

    Esses dias eu fiquei pensando sobre o destralhe e sobre a necessidade de desapegarmos não apenas de objetos, mas de sentimentos que nos fazem mal.

    Para esse desapego, o primeiro passo é admitir que algo não está bem. Como diz a escritora Brené Brown, autora de “A coragem de ser imperfeito”, não é fácil se mostrar vulnerável e ter coragem de admitir determinadas emoções e sentimentos. 

    Tenho me esforçado para me desapegar de sentimentos que me fazem mal. Vou compartilhar com vocês algumas dicas que têm me ajudado.

    5 dicas para ajudar no destralhe de emoções

    1) Escrever

    Procuro listar os motivos pelos quais aquilo que sinto não faz sentido. Quando vem aquela sensação ruim, aproveito para ler o que escrevi e racionalizar. 

    2) Ressignificar

    Essa dica tem a ver com programação neurolinguística (PNL). Não tenho grandes conhecimentos sobre o assunto, mas uma figura conhecida que utiliza essa técnica é o Tony Robbins.

    De forma muito simplista, com a PNL você ressignifica situações, emoções ou o que precisar para mandar uma mensagem diferente para seu próprio cérebro. Assim, o cérebro passa a registrar tal situação de maneira diferente.

    3) Respirar fundo

    Essa é uma dica que muitas pessoas recomendam para os momentos de dificuldade. Realmente ajuda a dar uma desacelerada. Há algumas técnicas de respiração, como inspirar e expirar lentamente 10 vezes.

    4) Fazer alguma coisa por mim

    Pensar um pouco em mim e fazer algo que eu goste auxilia no combate às emoções ruins. Caso você não tenha muito tempo, pode ser algo simples, como ler por 15 minutos, comer algo gostoso, etc. Depende do seu gosto. 

    5) Tomar um banho gostoso

    Eu adoro tomar banho. É comum eu sair do banho pensando: “Nossa, como isso é bom”. Só que no dia a dia, muitas vezes o banho é um momento corrido e executado de forma automática. Se for possível, tome um banho relaxante e se concentre nesse ato.

    E aí, vocês têm outras dicas sobre o assunto? Me contem nos comentários.

  • Finanças,  Minimalismo

    Não caia na besteira de pagar mais para ter mais do que você não precisa

    Esses dias eu recebi uma ligação da Claro-Net que me fez pensar.  A atendente me ofereceu um plano de internet com uma velocidade maior do que a que eu tenho contratada hoje, além de um pacote de TV e wifi fora de casa.

    Nos três primeiros meses eu pagaria R$ 10,00 a menos do que pago hoje por mês. A partir do quarto mês, minha mensalidade ficaria R$ 10,00 mais cara do que é hoje, sendo que no valor que pago hoje só está incluída a internet fixa.

    Teoricamente o que ela estava me oferecendo não era ruim. No entanto, o que eu tenho hoje já me atende. Portanto, eu recusei a oferta. A moça ficou insistindo, tentando me convencer, mas me mantive firme. Depois que desliguei o telefone fiquei pensando sobre aquilo.

    A moça não estava se conformando com a minha recusa. Imagino que a maioria das pessoas deva aceitar esse tipo de oferta sem nem pensar muito, já que estavam oferecendo mais benefícios por uma mensalidade “apenas” R$ 10,00 mais cara.

    Mas para que vou pagar esse valor a mais sendo que o pacote que eu tenho hoje já me atende?? Esses R$ 10,00 mensais podem virar R$ 120,00 em um ano, sem considerar juros. Não é nenhuma fortuna, mas é um valor que eu posso usar de uma forma melhor.

    Mão segurando uma flor. Não caia na besteira de pagar mais para ter mais do que não precisa.

    De um modo geral, o ser humano tem uma certa mania de grandeza, de querer sempre mais, de não se satisfazer com o que tem. Promoções do tipo “pague 3 leve 2” fazem o maior sucesso. Muitos compram sem pensar se vão conseguir usar os 3 itens antes da validade, por exemplo. Aí acontece o desperdício e o barato sai caro.

    Está na hora de refletirmos mais sobre nossos hábitos de consumo. Se o que tenho já é o essencial, não preciso de mais. É o que prega o minimalismo.

    De acordo com o site Significados, “Essencial é o indispensável, o necessárioé algo muito importante que não pode faltar. Do latim essentiale, que se refere à essência, ou seja, a substância, a ideia principal, o que constitui a natureza íntima das coisas.”

    O essencial pode variar de pessoa para pessoa, e tudo bem. Cada um tem que buscar o que é importante e suficiente para si.

  • Como se planejar para não enlouquecer no final do ano
    Organização,  Vida

    Como se planejar para não enlouquecer no final do ano

    Eu não sei vocês, mas não sou um grande fã dos finais de anos. Parece que conforme vamos nos aproximando de dezembro, começa uma contagem regressiva e temos que resolver a vida inteira antes de janeiro chegar.

    Minha sensação é de que tudo que não foi feito ao longo do ano tem que ser feito/finalizado até o dia 31 de dezembro, como se o mundo fosse acabar e a vida não fosse continuar em janeiro. Sabemos que o mundo não vai acabar, mas a virada do ano traz uma sensação de renovação, né. Acho que por isso a maioria das pessoas fica nessa de querer resolver tudo.

    Se você é como eu e quer passar um final de ano mais tranquilo, temos que nos planejar. Quando mais nos organizarmos, mais vai sobrar tempo para descansar, curtir a família e fazer o que realmente importa. Confira aqui algumas dicas para se planejar e não enlouquecer no final do ano.

    Não deixe as coisas para a última hora

    Essa é a dica principal. Com base nela, se organize para seguir as outras dicas com antecedência.

    Desapegue

    O final de ano é uma excelente época para fazermos aquela limpa em casa, porque sempre acabamos comprando ou ganhando coisas novas. Então é hora de abrir espaço para o novo entrar e aproveitar para fazer uma boa ação ou até mesmo ganhar um dinheiro extra. Se não for possível fazer um destralhe geral na casa, selecione as áreas mais críticas.

    Presentes

    Ninguém merece encarar o comércio lotado às vésperas do Natal. Para evitar isso, planeje a compra dos presentes com antecedência. Faça uma lista com todas as pessoas que você irá presentear, do porteiro ao seu filho.

    Defina um valor para gastar com cada presente e já pense em umas duas opções de presente para cada pessoa (caso não encontre a primeira opção). Assim, você já sai de casa sabendo o que vai procurar, o que facilita a vida e diminui o tempo gasto na busca.

    Cartões

    Não sei se alguém ainda tem o hábito de enviar cartões pelos Correios. Caso tenha, é hora de comprar os cartões, preencher os envelopes e levar aos Correios até o final de novembro, para que cheguem antes do Natal no destino final.

    Em tempos de Whatsapp, é legal cultivar uma tradição que vai na contramão da tecnologia. Tenho certeza que muitas pessoas ficariam surpresas ao receber um cartão.

    Decoração

    Gosto de montar a decoração natalina já em novembro. Assim temos mais tempo de curtir o nosso espaço decorado. Não sei se você é adepto de uma decoração mais minimalista, ou se é do tipo que gosta de enfeitar a casa toda.

    Se você gosta de enfeitar bastante a casa, separe um dia para fazer isso. Guarde decorações cotidianas da casa para sobrar mais espaço para os itens festivos. Verifique se precisa comprar algum item novo para complementar a produção ou para substituir algo que tenha quebrado.

    Prepare o lar caso vá receber hóspedes

    Se você for fazer comemorações de final de ano na sua casa, verifique com antecedência o que precisa ser feito para deixar a casa pronta. Se for receber visitas para dormir, a sua lista de verificações pode ser ainda maior. Tem copos suficientes? Precisa fazer alguma manutenção na casa?

    Como se planejar para o final de ano

    Organize a sua agenda

    Final de ano também é época de muitas festinhas e confraternizações. Organize a sua agenda para que você consiga participar de todas as comemorações que te interessar.

    Finanças

    Faça as contas de quanto vai receber nos próximos meses (novembro, dezembro e janeiro), incluindo 13º salário (caso você tenha um). Liste todos os gastos extras que terá e se esforce para se manter dentro do orçamento. Ninguém quer começar o ano endividado, afinal.

    Priorize

    Vamos ser sinceros. Aquela tarefa que você adiou durante o ano inteiro realmente precisa ser feita agora? Avalie quais são as suas prioridades e deixe o resto para depois (ou para nunca).

    Faça listas

    Não confie na sua cabeça. Faça listas! Liste o que precisa comprar, quem precisa contatar, o que precisa fazer em casa, o que precisa organizar, etc etc. Cada vez que sair de casa, aproveite para ver tudo que dá para resolver da sua lista na rua.

    Descanse

    Separe um tempo para descansar. A semana que antecede o Natal é um ótimo momento para fazer uma pausa e fugir da loucura do mundo. Não estou falando necessariamente de viajar. Se você puder programar uma viagem, melhor ainda.

    Mas se não puder, aproveite para descansar em casa mesmo, faça alguma coisa que você goste, vá passear pela sua cidade. Desacelere!

    Essas são as minhas dicas. Agora me conta: quais são os seus truques para fugir da correria do final de ano?