• Dicas infalíveis para economizar no mercado
    Finanças

    Dicas infalíveis para economizar no mercado

    Tenho a sensação de que cada vez que vou ao supermercado, as coisas estão mais caras. Fico impressionada com o tanto que gasto comparado à pequena quantidade de itens que levo para casa.

    Estou procurando prestar mais atenção às minhas compras para conseguir economizar. Se você também está precisando economizar no mercado, confira abaixo as dicas que separei.

    Monte um cardápio

    Olhe o que você ainda tem em casa, tanto na geladeira quanto na despensa. Baseado nisso, monte um cardápio para as próximas refeições, de forma que aproveite o que você ainda tem em casa. Afinal, desperdício de comida é desperdício de dinheiro.

    Faça uma lista

    Após montar um cardápio, é hora de montar a lista. Essa dica é básica, mas necessária. Faça uma lista e se atenha a ela. Eu gosto de levar a lista em papel mesmo e ir riscando com uma caneta o que eu vou colocando no carrinho. Mas você também pode optar por criar uma lista em algum aplicativo no celular.

    Calcule o preço por unidade

    Como saber se um pacote com 48 fraldas está mais caro que o pacote com 96? Calculando o preço por unidade. Para isso, tenha em mãos uma calculadora. Temos a tendência a achar que a embalagem maior vai ter o preço mais barato, mas isso não é uma regra. Além disso, não adianta comprar a embalagem maior que tem um preço unitário menor se você não for conseguir consumir aquele produto até a data de vencimento. Sua economia terá ido para o lixo.

    Evite passar nos corredores de produtos que você não precisa comprar

    Se não tem nenhum item de higiene pessoal na sua lista, por exemplo, não passe nesse setor. Isso só te fará perder tempo e você ainda pode cair na tentação de querer levar algo que não esteja precisando.

    Não vá ao supermercado com fome

    Eu sei, essa dica é realmente super batida, mas funciona. Tem grandes chances de você comprar alimentos além do necessário se você for às compras com fome.

    Cuidado com as falsas promoções

    Não acredite em todas as ofertas do supermercado. Não é porque está escrito em destaque “promoção” que aquele produto realmente está com um preço mais baixo do que o normal. Preste atenção! Observe o preço e analise se realmente é uma oferta real ou apenas um chamariz para pegar consumidor desatento.

    Aproveite os descontos reais

    Em oposição à dica anterior, preste atenção aos descontos reais. Realmente tem vários mercados cheios de falsas ofertas por aí. Porém há também os casos de promoções verdadeiras. Se for algo que você precisa comprar, aproveite.

    Compre os produtos da estação

    Dicas infalíveis para economizar no mercado

    Os alimentos da estação costumam estar melhores e mais baratos do que outros produtos. Assim, você economiza no preço e leva um produto que vai estar com uma qualidade superior do que aqueles fora da estação.

    Frequente mercados mais baratos

    Aqui vale você analisar sua situação. Não sou muito a favor de sair rodando a cidade em busca do mercado mais barato. Afinal, tempo é dinheiro. Mas se há 3 redes diferentes de supermercados próximos à sua casa, compare os preços e comece a frequentar aquele que tiver os preços mais em conta.

    Quando possível, escolha uma marca mais barata

    Tem produtos com os quais eu acho que não dá para comprar do mais barato, como detergente para lavar louças, por exemplo. Mas também não precisa comprar a marca mais cara. Já no caso de alguns itens, como água mineral, não vejo diferença de marca. Veja o que faz sentido para você.

    Aproveite também para experimentar novas marcas. Muitas vezes temos preconceito com marcas mais baratas sem nunca termos provado. Aqui ainda vale mais uma dica. Experimente as marcas dos supermercados.

    Muitas redes grandes possuem linhas de marcas próprias. Porém normalmente elas não produzem, apenas reembalam produtos comprados de outros fabricantes.

    Então você pode comprar bons produtos assim. Se quiser saber quem é o fabricante, basta olhar na embalagem, vai estar escrito bem pequenininho algo como “fabricado por”.

    Compre menos produtos industrializados

    Essa dica vale para mim também. Produtos industrializados costumam sair mais caros e não são tão nutritivos quanto comida de verdade (arroz, feijão, carne, frutas, legumes). Se você compra muitos produtos industrializados, tente ir diminuindo o consumo deles aos poucos. Você vai ver como isso vai fazer diferença na sua conta. É bom para o seu bolso e para a sua saúde.

    Não leve as crianças

    As crianças não têm muito autocontrole e podem se sentir facilmente atraídas por produtos supérfluos. Em outros casos, os próprios adultos podem ficar tentados a presentear os pequenos com algum item do mercado. Portanto, se você tiver opção, evite levá-las com você.

    Confira a validade dos produtos

    Não adianta comprar um pack com 8 iogurtes porque está mais barato se eles vão vencer daqui 1 semana e você costuma levar 2 semanas para consumir. Sempre confira a validade dos produtos antes de colocar no carrinho.

    Faça compras semanais ou quinzenais

    Quando você faz compras muito grandes, fica mais difícil de controlar a quantidade que vai precisar para não sobrar comida. Se você for ao mercado semanalmente ou quinzenalmente, pode minimizar o desperdício de alimentos.

    Defina um limite para gastar

    Ir às compras com um limite para gastar pode dar um pouco mais de trabalho, mas é uma ótima estratégia para controlar os gastos. Defina quanto você pode gastar por semana ou por ida ao mercado e se mantenha dentro do limite.

    Confira seu cupom fiscal

    Às vezes pode acontecer de quando passar um produto no caixa, o valor estar diferente (maior) do que estava na prateleira. Ou também pode acontecer do funcionário da loja se confundir e passar o mesmo produto mais de uma vez. Por isso, sempre confira sua nota fiscal. Se conseguir conferir já na tela do caixa, fica ainda mais fácil de corrigir caso seja necessário.

    Agora eu quero saber quais são as suas estratégias para economizar nas compras!

  • Organização

    Como organizar fotos digitais

    Com a popularização dos smartphones, a maioria das pessoas começou a acumular um grande número de fotos digitais. Mas como organizar essa monte de imagens? Qual o melhor local? Qual o melhor método?

    Escolhendo a melhor ferramenta

    Eu costumava organizar minhas fotos no meu computador pessoal mesmo, isso na época em que utilizávamos câmeras digitais, e não os celulares para fotografar. No entanto, conforme o volume de fotos foi crescendo, isso foi ocupando muito espaço no computador, tornando-o mais lento.

    Além disso, quanto mais imagens eu tinha,  maior o medo de perder tudo por falta de backup. Como diz aquele ditado: “Quanto mais alto, maior o tombo”.

    Resolvi tirar as fotos do computador, porque estavam enchendo o HD da máquina. Então decidi passar tudo para um serviço na nuvem. Fiquei na dúvida sobre qual escolher, porque eu não queria pagar por isso e a maioria dos serviços gratuitos possui um limite de armazenamento.

    Enfim, adivinha o que acabei escolhendo? O onipresente Google com seu Google Fotos, porque ele é gratuito e não tem limite de armazenamento.

    Além disso, comprei um HD externo que é utilizado como meu backup, mas confesso que não acho a coisa mais prática do mundo.

    Escolhi o Google Fotos pela sua capacidade de armazenamento, mas confesso que não acho o utilitário prático para organizar.

    Na verdade, acho que o Google confia tanto em seu poder de busca (que realmente é impressionante) que ele entende que não precisamos ficar categorizando tudo. Basta fazer uma busca que rapidamente você encontra o que procura.

    A ideia é não perder tempo organizando tudo e deixar o Google te ajudar na hora que precisar encontrar algo.

    Outra característica do Google Fotos é que você pode ativar a sincronização automática com o celular. Assim, as fotos tiradas no celular vão automaticamente para o programa de imagens.

    Escolhendo o melhor sistema para categorizar

    Mas e em relação à categorização das fotos? Nos meus primeiros métodos de organização de fotos digitais, eu costumava organizar as fotos em pastas de acordo com o tema. Por exemplo: pasta “Nascimento do Enrico”. Aí dentro da pasta eu nomeava as fotos com o mesmo nome da pasta.

    No caso de eventos que aconteciam mais de uma vez, eu fazia pastas de acordo com o ano. Por exemplo: uma pasta com o título “Meu níver 2017”, outra pasta chamada “Meu níver 2018” e assim por diante.

    Só que aí começa a virar um mundo de pastas. Se você não sabe bem o que tem em cada pasta, fica difícil de encontrar alguma foto que queira. E a ideia de organizar é justamente facilitar o trabalho, ganhar tempo, e não o contrário.

    Outra maneira de organizar é por data. Você pode criar uma pasta por ano e dentro de cada pasta anual, criar uma subpasta para cada mês. Só que se você não tiver ideia de em que ano determinado evento aconteceu, pode ficar difícil localizar as fotos depois.

    Já vi a Thaís ensinar que o GTD não recomenda trabalhar com subpastas, pois se você trabalhar apenas com pastas, fico tudo visível na mesma tela. Você não precisa ficar entrando em cada subpasta para ver o que tem dentro.

    Enfim, escolha o que faz mais sentido para você. Seja organizar em ordem cronológica, por assunto, por ocasião, ou até mesmo fazer um sistema misto de organização. O importante é que você mantenha seus arquivos em um local seguro e consiga encontrá-los com rapidez quando precisar.

    Se você quiser saber mais sobre organização digital, leia o post “Como estou usando o Evernote para me organizar“. Agora me conta: como você organiza as suas fotos digitais?

  • Organização

    Passo a passo para planejar uma viagem

    Viajar mais é o desejo da maioria dos brasileiros, mas tem muita gente que acha que só quem tem dinheiro consegue viajar regularmente. No entanto, com uma boa dose de planejamento e organização, é possível passear por aí mesmo com a grana curta.

    Pensando nisso, fiz este post para trazer algumas dicas sobre planejamento de viagem que servem para qualquer pessoa, independente do orçamento disponível.

    Como planejar uma viagem

    Estabeleça um orçamento

    O primeiro passo é pensar quanto você quer ou pode gastar na sua viagem. Isso vai te auxiliar e te guiar pelos próximos itens do planejamento. Analise quanto você pode desembolsar por mês com a viagem. Assim, você vai poder definir com quanto tempo de antecedência precisa começar a se programar.

    Escolha o destino

    Defina o local para onde você pretende viajar. Quer ir para a praia ou prefere um lugar de montanha? Quer fazer uma viagem de compras ou prefere um retiro em meio à natureza? Vai ser um passeio para um local mais próximo ou você irá para o exterior? Enfim, são muitas as opções, de acordo com o tipo de viagem que pretende fazer.

    Defina a data

    Após o planejamento financeiro e a escolha do destino, é hora de definir a data da viagem. Você tanto pode fazer uma viagem mais curta, em um feriado prolongado, por exemplo, quanto organizar um passeio mais longo, que dependa de férias.

    Se você precisar tirar férias, já combine com seu empregador a data das suas férias. Caso você tenha flexibilidade na marcação das férias, viajar na baixa temporada é uma ótima opção, pois a diferença de preços é absurda.

    Lembre-se também de verificar o clima do local para o qual pretende ir. Se você vai para uma cidade de praia, pesquise se naquele local não é época de chuva na data em que você está pensando em ir. Afinal, é bem chato viajar pensando em curtir aquela praia e chegar lá e só pegar chuva.

    Escolha o tipo de hospedagem

    Hoje em dia existem várias formas de hospedagem. É possível alugar um imóvel por temporada, através de plataformas como o Airbnb; ou optar pelo conforto de um hotel. Além disso, é possível se hospedar na casa de um amigo ou parente (caso você conheça alguém no destino) ou até mesmo ficar em um hostel. Hoje em dia existem muitos hostels bacanas por aí.

    Selecione o meio de transporte

    Como você pretende viajar? De ônibus? De avião? Ou de carro? Se for de carro, vai usar um veículo próprio ou alugado? Aqui também há uma variedade de opções. Se você escolher viajar de ônibus ou de avião, é preciso comprar a passagem com antecedência.

    No caso de viagem aérea, você pode começar a monitorar os preços para tentar conseguir uma boa promoção. Se for viajar de carro, lembre-se de pensar nos gastos com combustível e pedágio, além de fazer uma revisão no veículo antes de seguir viagem.

    Você também pode já definir qual será o seu meio de transporte dentro da cidade de destino. Vai utilizar o transporte público local? Se for o caso, é bom pesquisar antes como funciona. Vai utilizar aplicativos? Ou prefere alugar um carro?

    Planeje o roteiro

    Após definir o destino da sua viagem, é interessante planejar o roteiro do passeio. Pesquise o que tem para fazer no local, onde você pretende ir e quais pontos turísticos deseja visitar. Dependendo dos passeios que quiser fazer, você pode já comprar os ingressos antecipados para não correr o risco de encontrar tudo esgotado quando chegar no local. Outra dica é deixar alguns períodos livres na sua programação. Assim você fica com flexibilidade para descobrir novos locais durante a viagem.

    Pense na alimentação

    Dependendo do tipo de hospedagem que você escolher, pode ser que haja algumas refeições inclusas ou até mesmo que todas as refeições estejam no pacote. Caso não tenha todas as refeições inclusas, pense em como pretende fazer as refeições. Vai ter a possibilidade de cozinhar ou pretende comer fora? Se pretende comer fora, já pesquise com antecedência alguns locais dentro da sua faixa de orçamento.

    Além disso, lembre-se que você também pode querer beliscar algo entre as refeições principais. Dependendo do tipo de viagem, você pode levar algumas coisas de casa com você para economizar, ou pode preferir conhecer a culinária local.

    Faça uma checklist

    Na semana da viagem, faça uma checklist para não se esquecer de nada que precisa levar. Se precisar comprar algo, aproveite para fazer isso uns dias antes da viagem. Caso você tenha filho pequeno, aqui no blog tem um post com uma checklist do que levar na mala do bebê.

    No mais, aproveite bastante a sua viagem!

  • Ingredientes picados em uma tábua.
    Casa,  Organização

    7 Dicas práticas para agilizar o preparo das refeições

    Vou ser bem sincera com vocês. Eu adoro comer (taurina, né), mas não gosto de cozinhar. Não sei, não tenho muito interesse em aprender e não gosto de gastar muito tempo com isso. Mas infelizmente não podemos viver apenas de delivery, tanto pelo valor gasto quanto pela qualidade da nossa alimentação.

    Sendo assim, mesmo não gostando, eu e meu marido fazemos o basicão no dia a dia.  Como nossa rotina é bem corrida, ajuda muito deixar algumas coisas agilizadas para perder menos tempo e não cair na tentação do delivery. Separei algumas dicas bem práticas que me auxiliam a ganhar tempo no preparo das refeições.

    7 Dicas práticas para agilizar o preparo das refeições

    1- Verduras

    Procuro chegar do supermercado e já ir logo higienizar. Se eu deixo para lavar as folhas quando quero usar, muitas vezes a preguiça e o cansaço vencem e acabo não usando, o que faz com que eu coma pior e aumente as chances de desperdiçar um ingrediente porque estragou.

    2- Frutas

    Frutas como melancia e abacaxi eu já descasco, pico e guardo em um pote com tampa. Já frutas como uva e morango, eu já deixo higienizadas para também ficarem prontas para o consumo.

    3- Legumes

    Alguns legumes, como cenoura, dá pra já deixar ralado, se for usar cru. Dura alguns dias na geladeira.

    4- Temperos

    Compro cebola e alho, descaso, trituro e guardo em um potinho na geladeira com um pouquinho de óleo para ir usando nos próximos dias.

    5- Carnes

    Antes de congelar, procuro já limpar as carnes e picar da maneira que eu pretenda usar. Daí congelo as porções do tamanho certo para uma refeição.

    6- Ovos

    Costumo comer um ovo cozido pela manhã. É algo muito simples de fazer, mas às vezes não tenho tempo para ficar vigiando o ovo cozinhar para não passar do ponto que gosto. Sendo assim, cozinho uns 3 ovos de uma vez e guardo na geladeira com casca e tudo. Quando vou comer, descasco, corto e coloco uns 15 segundo no microondas porque prefiro comer morninho ao invés de gelado. Tem que cortar o ovo antes de colocar no microondas senão pode explodir. Você também pode guardar os ovos na geladeira já descascados. Não testei qual o máximo de tempo que os ovos aguentam já cozidos na geladeira. Se alguém souber, aceito a dica. Na dúvida, cozinho só para uns 3 dias mesmo.

    7- Congelar

    Com certeza essa é minha dica preferida. Por mim eu congelaria a minha vida toda pra facilitar hehehe. Algumas preparações eu sempre faço a mais para congelar. Por exemplo: feijão, mas este é um clássico, quase todo mundo faz, né. Também congelo arroz. Faço na panela elétrica a capacidade máxima dela e congelo em porções. Acho que fica ótimo.

    Carne moída, frango desfiado, legumes, molho de tomate (quando consigo fazer), bolos, brigadeiro… o céu é o limite. Você sabendo como congelar e como descongelar, não fica uma comida com gosto de requentada. Alguns ingredientes, após o congelamento, não podem mais ser usados em sua consistência natural anterior. Precisam ser utilizados em preparações ou em alguma forma de cozimento.   

    Enfim, essas são as dicas que mais uso para agilizar o preparo das refeições e não perder tanto tempo na cozinha. Agora eu quero saber quais as dicas de vocês.