Maternidade,  Vida

Privação de sono e saúde mental na maternidade

Pessoa dormindo no sofá.
Foto por Pixabay em Pexels.com

Precisamos falar sobre saúde mental. Mais especificamente, precisamos falar sobre saúde mental na maternidade. Tenho um bebê de 10 meses. Ele não só não dorme à noite inteira, como no último mês passou por sua pior fase de sono. Todas as noites ele acordava 4 ou 5 vezes.

Para quem já vinha de 9 meses de noites mal dormidas (ou até mais, se considerarmos que no final da gravidez as idas ao banheiro e o tamanho da barriga já atrapalhavam um pouco o sono), esse último mês foi a gota d´água.

Eu senti na pele como a privação de sono afeta a nossa vida. O cansaço físico é apenas uma pequena parte dos prejuízos que nos assolam. O esgotamento mental e suas consequências são as piores partes da privação de sono.

Eu me vi mais irritada e impaciente do que o normal. Qualquer coisa me dava vontade de chorar. Um copo de água que eu derramasse era motivo de desespero, não pela bagunça que eu teria que limpar, era só um desabafo por tudo que eu estava sentindo.

Cansaço, irritabilidade, falta de disposição, vontade de chorar, stress, falta de concentração, falta de tempo. Não dava para fazer nada na minha vida além do estritamente necessário. Não dava para cuidar de mim, do meu casamento, do meu cachorro, ou até mesmo cuidar com mais disposição do meu filho. As horas de sono eram tão poucas que eu não podia abrir mão de nem um minuto sequer.

A virada

Fomos ao pediatra desesperados em busca de uma solução. Ele alertou que precisávamos mudar isso. Do contrário, em poucos meses eu teria que procurar a ajuda de um psiquiatra.

O médico nos deu algumas orientações sobre o sono do nosso filho e nós colocamos em prática no mesmo dia. Não foi fácil. Hoje, uma semana depois, as coisas estão ficando mais tranquilas. A noite passada ele foi dormir às 19h45 e acordou só às 4h30 da manhã. Logo voltou a dormir e foi até às 6h40.

Claro que ainda me sinto cansada, mas aos poucos a vida vai entrando nos eixos. Gente, isso é só um alerta. Se vocês estiverem passando por uma situação parecida, procurem ajuda. A privação de sono é algo muito sério e muito prejudicial em diversos aspectos da nossas vidas.

3 Comentários

  • Alexandre Carreira

    Ótima postagem para alerta aos pais de primeira viagem que ficam reticentes quanto à adoção de práticas de sono mais antigas.

  • Simplicidade e Harmonia

    Marcella,

    Excelente post!

    “Eu senti na pele como a privação de sono afeta a nossa vida. O cansaço físico é apenas uma pequena parte dos prejuízos que nos assolam. O esgotamento mental e suas consequências são as piores partes da privação de sono.”
    Muitos acabam negando essa necessidade ou tomando medicamentos para ficarem acordados por mais tempo e acabam se esquecendo de que um dia, assim como na fatura do cartão de crédito, a conta virá…

    Muito bom o seu blog, gostei do layout e da simplicidade. Vou acompanhar!

    Abraços,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *